Os Requisitos Para Seguir Jesus Segundo a Doutrina Espírita



Ariel Telo

“Então Jesus disse aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá, e quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará. Porquanto, que benefício terá o homem se ganhar o mundo inteiro, e sua alma sofrer perda? Ou que dará o homem em troca de sua alma? Pois o filho do homem está para vir na glória do seu Pai, com os seus anjos; então, restituirá a cada um segundo as suas ações. Amém vos digo que há alguns dos que estão de pé aqui que não provarão a morte, até que vejam o filho do homem vindo em seu Reino”. Mateus, 16:24-28.


“Chamando a si a turba, juntamente com seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quer seguir após mim, negue a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá, e quem perde a sua vida por minha causa e pelo Evangelho, a salvará. Porquanto, que benefício tem o homem se ganhar o mundo inteiro, e sua alma sofrer perda? Pois, que daria o homem em troca de sua alma? Porquanto, quem se envergonhar de mim e das minhas palavras, nesta geração adúltera e pecadora, também o filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu Pai, com os santos anjos”. Marcos, 8:34-38.


“Ele dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue a si mesmo, tome a sua cruz a cada dia, e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá, e quem perder a sua vida por minha causa, esse a salvará. Porquanto, que benefício tem o homem ao ganhar o mundo inteiro, destruindo a si mesmo ou sofrendo perda? Pois quem se envergonhar de mim e das minhas palavras, o filho do homem se envergonhará dele, quando vier na sua glória, na glória do Pai e dos santos anjos. Eu, verdadeiramente, vos digo que há alguns dos que estão aqui que não provarão a morte, até que vejam o Reino de Deus”. Lucas, 9:23-27.


Nessa breve passagem, Jesus, de maneira alegórica, explicou o que era necessário para aqueles que queriam seguir os seus passos, o que resumiu em poucas, mas sábias palavras: negar a si mesmo; tomar a sua cruz; seguir seus ensinamentos e exemplos. Alertou, também, desde logo, que aquele que quisesse salvar a própria vida a perderia, mas quem a perdesse por conta d’Ele e do Evangelho, a salvaria. Como sempre, em todas as suas parábolas, cada elemento tem o seu significado próprio, e todos eles se complementam e se comunicam intensamente com os nossos mais íntimos sentimentos.


Não por coincidência, Cristo recomendou, em primeiro lugar, que negássemos a nós mesmos se quiséssemos segui-lo; que negássemos nossas paixões, nossos desejos materiais, nossas próprias razões, nosso orgulho, nosso egoísmo. É parte essencial, para a compreensão do Evangelho do Mestre, que tiremos, do primeiro plano, a satisfação das nossas próprias vontades, pois elas não prestam senão para o nosso proveito próprio.


O Evangelho de Jesus só pode ser seguido por aqueles que buscam a abnegação, o que podemos definir como a renúncia dos próprios desejos em prol de um bem maior. Ora, evidentemente, abrir mão de nossos desejos não importa dizer que é necessário nos privarmos do bem que possamos fazer a nós mesmos, já que é indispensável que cuidemos de nossa saúde mental e fisiológica, e nos proporcionemos momentos de lazer, descanso e entretenimento. No entanto, é necessário discernimento para compreendermos quando os nossos desejos não estão viciados pelos misteres de ordem exclusivamente material, cegos pelo orgulho e o egoísmo.


Se assim não o fosse, o principal ensinamento do Mestre não seria “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”.


Em seguida, Jesus recomendou que tomássemos nossa cruz a cada dia e, por fim, o seguíssemos. O que significa que, nesse caminho em busca da Luz, a caminhada não seria fácil desde o começo. Todos nós nascemos nessa Terra por alguma razão, carregando uma ou várias cruzes, as quais não podemos deixar no caminho, já que caminhar sem carregar o peso de nossas obrigações e deveres seria o mesmo que não caminhar. É imprescindível, para que nos tornemos verdadeiramente cristãos, que aprendamos a suportar o peso que a vida nos aplica aos ombros com resignação, coragem, fé e esperança.


Com as palavras “(...) quem quiser salvar a sua vida a perderá, e quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará”, Jesus deixou claro que, aquele que pensa apenas em si mesmo, em suas próprias razões e desejos, e que não está disposto a abrir mão de seu lado material, perderia a vida. É o que vemos, todos os dias, nas pessoas que buscam o significado da vida nos bens materiais e em sua autossatisfação, mas frequentemente ouvimos os seus relatos de que nada encontraram. Perdem a vida em busca de algo que não podem encontrar, pois procuram no lugar errado. Por outro lado, aqueles que “perdem a vida” pela causa do Evangelho, ou seja, aqueles que dedicam grande parte do seu tempo em prol do verdadeiro trabalho no bem, estão, na verdade, ganhando.


Afinal, “(...) que benefício terá o homem se ganhar o mundo inteiro, e sua alma sofrer perda?”. Que benefícios podem as coisas materiais fornecer à nossa alma, à nossa edificação espiritual, tão pregada pelo Mestre Jesus? Mais vale, portanto, entregarmos a nossa vida em função do Evangelho, do que dedicarmos a nossa vida às nossas próprias vontades, ainda que isso implique perdas materiais, uma vez que o Espírito é eterno, mas o corpo efêmero.


Carreguemos, portanto, a nossa cruz com coragem e determinação!

Que possamos abrir mão das coisas que serviriam apenas para a nossa satisfação, em detrimento do trabalho no bem e em prol do próximo. Só assim, a cada dia que passa, nos tornaremos melhores seguidores do Mestre.

23 visualizações

Mapa do Site

Formas de pagamento:

ATENDIMENTO:

Telefones: 

22  2724-0945

22  2731-2314

Whatsapp:

22  99890-7455

Redes Sociais

  • Facebook
  • Youtube
  • Instagram
  • Twitter
  • Blog

Clube do Livro LETRA ESPÍRITA

Levando até você conteúdos que iluminam

CNPJ: 13.022.435/0001-89

Caixa Postal  116764

Campos dos Goytacazes/RJ

28027-970

WhastApp 1.jpg